Sobre a Toca

Sobre a Toca

 

Pois é, pouco me lembro da infância, mas o que não me sai da cabeça foi tomar inúmeras broncas de minha mãe por cavar buracos no quintal para represar água, achando que ia ter um rio para colocar os peixes. Por sorte (dos peixinhos, é claro) ela nunca deixou que eu completasse a obra. Na época eu tinha 04 ou 05 anos.

Como fomos criados entre pescarias, represas, açudes, rios e riachos, a vontade de ver o comportamento dos peixes sempre foi muito intensa. Quando com 07 ou 08 anos (também não me lembro) eu vivia dentro do sítio dos meus avós, onde também tomava inúmeras broncas do famoso TIO RODI, que criava em um lago vários tipos de peixes ornamentais e não deixava em paz uma peneira grande onde eu enchia de peixes. Bagunçava tudo com a tal peneira! Meus professores, esses sim ficavam contentes, pois eu os presenteava com peixinhos (a famosa festa como o rojão dos outros). Este tio ainda hoje é um apaixonado por carpas e de vez em quando empresto minha rede para ele bagunçar meu lago um pouco, (sei lá, pra pagar um pouco da dívida!).

Mais tarde, bem mais tarde (pra encurtar um pouco, se não….) veio minha filha, outra apaixonada por bichos, aí sim vem a história do Betta! Num domingo, em meados de 2001 quando ela tinha apenas 02 anos, em Carapicuíba, o TIO TONINHO deu à ela um peixe Betta que trouxemos pra casa e como se sabe, lá se vão aquário, ração, anti cloro e … SURPRESA … uma espuma horrível formando em cima do aquário,desespero total!!! Doença? Raiva? Sapo? Detergente? Não! Apenas o bichinho querendo seus descendentes. É o ninho para criar, disse o dono da loja de peixes na qual eu me dirigi. Então lá vai, fêmea, mais ração, revista de como criar, artemia, infusórios, um monte de alface apodrecendo e cheirando mal na lavanderia e tudo que um criador profissional precisava (pensava eu). Enfim, o improvável aconteceu (digo improvável, pois não é fácil não), consegui 30 machos lindos que até hoje não vi igual! Vendi todos eles a um grande amigo que fiz (EDIMAR – mais conhecido como DU da AGROVALE) Olha que beleza (detalhe, pra quem estava desempregado, estava surgindo um negócio) com o dinheiro da venda eu comprei mais aquários, mais matrizes, mais tudo… mas não consegui nenhum novo filhote! Desistir? Palavra que nunca esteve no meu dicionário (e o DU querendo mais peixes!!!). Foi então que descobri um criador no Pará que vendia os Bettas! E dava pra ganhar um bom lucro! Como sou um pouco mais arrojado, comprei logo 1000 peixes com uma reserva que tinha e eles vieram de avião! Ainda bem, pois vendi 10 pro DU, mais 20 em Sorocaba, mais 15 em Jundiaí, mais 30 em Ribeirão…

Estava praticamente entregando Bettas no atacado para todas as cidades da região, aí…Quem entrega Bettas, entrega Kinguios que entrega Paulistinha, que entrega Carpas, enfim, um pequeno atacadista de peixes. Foi aí que resolvemos montar uma loja no varejo, só pra pagar as contas de telefone, água, enfim, o administrativo, pois a idéia era vender no atacado. Mal sabia que eu estava muito enganado. Desde o 1º dia do mês de abril (parece até mentira) uma grande verdade nasceu! Desde então, não conseguimos sair mais nenhum único dia para vendermos no atacado! A loja não nos deixou com tempo para o atacado.

Hoje agradeço primeiramente a DEUS, pois ele é dono de tudo, eu só administro. Em segundo minha família, que trabalha todinha em nossa empresa. As broncas da mãe, do TIO RODI e principalmente ao TIO TONINHO que não deu bronca e sim uma sementinha que soubemos plantar e regar e que ainda nos dará muitos frutos, de um simples Betta de CARAPICUIBA para uma loja que atende do RIO GRANDE DO SUL ao AMAZONAS.

E um aviso: MERCOSUR, La Guarida de los Peces esta llegando!!!!!

Pague com
  • Mercado Pago
  • Mercado Pago
  • PagSeguro V2
Selos
  • Site Seguro

BALASSA E BONFATTI MAGAZINE LTDA EPP - CNPJ: 07.415.464/0001-08 © Todos os direitos reservados. 2021


Para continuar, informe seu e-mail